sábado, 24 de outubro de 2020

Bloqueio Criativo - Série Criatividade #7

 


O que é o famoso bloqueio criativo? Evento que pode ser entendido como uma dificuldade que as pessoas têm em algum determinado momento de ter uma nova ideia ou inspiração. Pode acontecer com qualquer um, mas é mais comum acontecer com os profissionais que trabalham diretamente com a criatividade, principalmente músicos, artistas e escritores. Nesse artigo trago alguns fatores que nos ajudam a entender os motivos que levam ao bloqueio, entendendo esse processo fica mais fácil evitar que aconteça, de enfrentá-lo e criar estratégias para superá-lo.

O bloqueio criativo surge de maneira sempre inesperada e várias causas podem estar envolvidas, as origens são variadas mas normalmente envolve fatores psicológicos e emocionais.

As causas mais comuns são:


* PERFECCIONISMO

Muitas pessoas pensam que o perfeccionismo exacerbado as ajuda a atingir os seus objetivos e obter melhores resultados, buscam um ideal de perfeição ao criar que simplesmente não existe. Eu mesma até bom pouco tempo atrás achava que ser perfeccionista era uma qualidade... 

O perfeccionismo não é apenas um desejo de ser o melhor. Significa que estabelecemos padrões impossivelmente altos para nós mesmos (e possivelmente para os outros) que nunca poderemos alcançar. Significa que nos criticamos implacavelmente quando cometemos erros e os vemos como falhas fatais, ao invés de considerar como uma parte natural do processo de aprendizagem. O perfeccionismo significa que nunca nos sentimos suficientemente bem porque baseamos a nossa autoestima no que fazemos, no que alcançamos e no que os outros pensam de nós.

Precisamos reconhecer que o perfeccionismo não é útil, não torna a pessoa mais bem sucedida, confiante, atraente ou mais feliz. Esse comportamento exagerado e obsessivo de querer fazer tudo perfeitamente aumenta o stress e a pressão sobre nós mesmos desnecessariamente, tornando a vida mais difícil. Quando tratamos de arte a última coisa que podemos criar são expectativas, deixe o processo fluir e faça os ajustes conforme o curso do trabalho. Arte não combina com perfeccionismo, e muitas vezes deixamos de criar por não aceitar um resultado menos que excelente, nos cobramos e nos exigimos tanto que o bloqueio acontece. 

Então aceite e transforme os erros ao longo do processo em aprendizado e resultado. A perfeição e a excelência vem somente com a experiência e a repetição, dificilmente numa primeira tentativa de algo novo conseguiremos atingir o resultado que esperamos. 

A grande verdade é que a busca por perfeição jamais vai acabar, sempre teremos a sensação que poderíamos ter nos superado, mudado algo, ter feito melhor. Mas é preciso lembrar que a arte nos representa, as imperfeições e erros fazem parte também de quem somos, então dê um tempo a si mesmo e permita que essas imperfeições deem vida e personalidade à sua arte.



* COMPARAÇÕES

É muito comum nos compararmos a outras pessoas e nivelarmos o nosso trabalho baseado no trabalho de alguém, mas não podemos esquecer que nosso trabalho e nossas criações são expressões únicas daquilo que somos. Não sabemos a trajetória do outro, tudo que ele viveu e vive para ser quem é, como é, ou para estar onde está. Quando aprendi a não olhar para os lados e focar no meu trabalho, seguir minhas inspirações, automaticamente criei a minha linha de trabalho e identidade, e foi um divisor de águas! Não devemos confundir admiração e inspiração ou ter referências, com sermos quem não somos para tentar fazer algo parecido com o que não nos pertence. 

Outro fator comum e que nos bloqueia é nos cobrarmos por resultados, ter expectativa do mesmo desempenho para diferentes criações. Por exemplo, você acaba de publicar uma arte que faz um enorme sucesso, recebendo vários comentários e compartilhamentos de mídia social. No trabalho seguinte o que acontece? Você se sente pressionado a ter resultados iguais ou superar o resultado anterior. Mas será mesmo que agradaremos sempre? Será que seremos sempre capazes de atingir resultados de alta performance? 

A resposta é não! Porque dependemos do outro e de outros fatores que não temos controle.

Acolha a sua expressão, sua forma de manifestar a arte e sentimentos, existe público e gostos para todos os tipos de criação. Seja mais gentil com você mesmo, valorize o seu processo. 



* MEDO DE REJEIÇÃO

O medo de não ser aceito ou não ter a aprovação conforme as suas expectativas age como um bloqueio, em outras palavras, a pessoa vive em constante medo de sentir as emoções ruins que surgem com uma possível rejeição. O complexo de rejeição age como um bloqueio para o desenvolvimento de relações interpessoais sadias, funciona  como um mecanismo de autossabotagem inconsciente. 

Essa reação também revela uma grande necessidade de agradar o outro, dando grande importância para a opinião de terceiros, mesmo se nada tem a ver com a sua vida. Busca fazer de tudo para que os demais tenham uma opinião positiva a seu respeito sempre.

A rejeição é comum no dia a dia de todos nós e não podemos permitir que isso nos cause medo ou nos paralise. Uma forma muito eficiente de combatê-la é dar um novo significado aos sentimentos ruins entrelaçados na ideia de rejeição. Embora dolorosa, a rejeição pode ser um caminho para uma realidade melhor ou um aprendizado para que possamos evoluir e melhorar. Procure encontrar as lições presentes também nestas situações.



* PARADOXO DA ESCOLHA

A afirmação de que ter muitas escolhas é sempre melhor do que ter algumas escolhas não é sempre verdadeira. Às vezes, quantos mais opções temos, mais difícil se torna a escolha e assim mais consequências negativas há em cada escolha. Portanto nem sempre ter mais opções é o melhor.

Já se sentiu extremamente indeciso diante das inúmeras opções na sua frente, a ponto de adiar sua decisão para outro momento? E acabou não conseguindo escolher no fim das contas? Opções demais causam paralisia ao invés de libertação. Com tantas opções por aí, a simples tarefa de escolher se torna algo extremamente difícil, mesmo quando conseguimos escolher, o resultado é menos satisfatório.

Criar tendo tantas opções muitas vezes nos atrapalha ao invés de nos ajudar e torna o processo mais lento e longo. Um forma de diminuir essa sensação de dúvida e paralisia é planejar antes, definir o que será feito, com quais ferramentas e materiais, e somente então seguir um plano de ação. Desafie-se a criar sobre restrições cuidadosamente projetadas, dentro de um tema, cores ou assunto pré-determinados.



* TÉDIO DA ROTINA

Você está determinado criando e produzindo com frequência, até que um dia você acorda e está decidido a não fazer, seja por preguiça, por falta de ideias, por cansaço. Esse é o primeiro passo para o bloqueio criativo e a desistência. 

Então o que fazer? Apenas faça! Não importa se não será o seu melhor, se não ficará tão bom, se não será um trabalho de excelência. Supere essa dor da disciplina e faça algo, por mais simples que seja, por menor que seja! Tenha coragem e siga no seu propósito.



Já conversamos sobre as causas e problemas... E agora? Quais as soluções?

Na realidade mesmo depois de conhecer as causas de um bloqueio, você não pode evitá-lo, em algum momento ele surgirá, é inevitável experimentar uma perda de inspiração ou de energia criativa. 

Existem algumas técnicas comprovadamente eficazes que nos ajudam a combater o bloqueio criativo, algumas inclusive coincidem com as técnicas sugeridas para aumentar o potencial criativo.

- Desligue as distrações digitais, isso consome sua energia e o torna menos produtivo.

- Escreva livremente, não pense, apenas escreva. O objetivo do processo é de se atingir o seu fluxo criativo. Estabeleça um período de tempo fixo, escolha um assunto e comece a escrever. Deixe as ideias fluirem sem se preocupar com pontuações, grafias e gramática, sem criticar seus pensamentos ou textos escritos. A escrita cursiva envolve mais partes do nosso cérebro do que digitar, porque a escrita no papel é mais trabalhosa e lenta, o que nos obriga a processar as nossas ideias profundamente.

- Se você se sente cansado, primeiro descanse.

- Mude seu ambiente de trabalho quando estiver planejando seus novos projetos e criações. Pesquisas demonstram que diminuir as luzes muito claras minimiza distrações e promove a reflexão. Trabalhar em um café com um baixo ruído ambiente também ajuda a promover o pensamento criativo.

- Limpe a sua casa ou tome um banho, já dizia Eistein que executar uma tarefa qualquer que não ocupe o nosso raciocínio, relaxa nosso cérebro. Tarefas simples nos ajudam a trabalhar melhor a criatividade, promovem o surgimento de novas ideias. E, como seu cérebro desliga, o momento Eureka! pode atacar, grandes ideias começam a surgir.

- Ouça música relaxante, a música está ligada às nossas emoções e pode ser usada como uma ferramenta eficaz de gestão do stress.

- Ler um livro melhora suas conexões cerebrais, e amplia o seu cérebro para um grau mais elevado do que assistir a um filme ou ouvir uma música, livro ou podcast.

- Faça caminhadas. Ficar sentado por longos períodos não é saudável, andar limpa sua cabeça, reduz o estresse e melhora o seu humor. Um estudo de Stanford descobriu que caminhar aumenta a sua produção criativa 60% em média​, e sua criatividade continuará fluindo mesmo depois de parar de andar.

- Jogue. Jogar pode desencadear liberação de endorfinas, trazendo um sentimento de bem estar. Pesquisa apontam que jogos induzem a um estado de espírito positivo, despertam a criatividade e desenvolvem habilidades para resolver problemas. Então, faça uma pausa das frustrações do bloqueio criativo e divirta-se! Você vai se sentir com mais energia e estimular a sua imaginação. 

Leia ou veja coisas inspiradoras, que te façam bem. Sejam elas citações motivacionais, videos divertidos, biografias, etc... Esta motivação externa pode eventualmente levar a uma maior motivação interna para criar.




E para finalizar...

É romântico, talvez até chique dizer às pessoas que você está sofrendo de um bloqueio criativo. Ou pior, entrar em um ciclo de auto-piedade por isso, mas não caia nessas armadilhas. A menos que você esteja doente, você está desperdiçando tempo. Uma pesquisa descobriu que apenas 22% da nossa criatividade é herdada de nossos genes, os 78% restantes são determinados pelo ambiente, educação e prática.

Então, depende muito mais da nossa boa vontade e atitudes do que da nossa genética. Não desista, você é um artista! E como disse Elizabeth Gilbert - "você tem que se mostrar a cada dia".

Gostou desse conteúdo? Então não perca o próximo e último post dessa série!
Me ajude a compartilhar esse posts e fazer com que ele chegue a mais pessoas! ♥

Você já leu os outros posts dessa série? Estão todos AQUI! 

Quer aprender mais e exercitar seu raciocínio criativo através de métodos simples? 
Teremos exercícios super legais e algumas dicas pra você aprofundar um pouco mais esse assunto.

Fique aqui e vamos juntos!!! 

Beijos ♥

3 comentários:

Unknown disse...

Adorei o texto, principalmente porque me revi em tantas partes dele.
A forma como fala para contornar o cansaço e o nao desistir se calhar era o que precisava de ler agora

Maria Teresa Valente disse...

Excelente, gratidão!
Abraços carinhosos
Maria Teresa

Monalise Nogueira disse...

Tais vc tocou em um ponto muito importante, a leitura pra mim traz criatividade, obrigada por ser uma fonte de inspiração para muitas pessoas do outro lado da telinha (eu). Bjs Monalise www.dividindoexperiencias.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...